DFB Festival se reinventa e apresenta edição online unindo moda, cultura e empreendedorismo

Diante do cenário de pandemia, e em meio ao isolamento social, o maior evento de moda autoral da América Latina, hoje consolidado como festival, se reinventa e se adapta às mudanças

Após reunir, em 2019, mais de 42.000 pessoas durante quatro dias,o DFB Festival se adapta aos novos tempos e anuncia uma edição inédita em formato virtual, refletindo, em ações concretas, o momento global de reflexão sobre as formas de consumo dos produtos culturais e os rumos do próprio trade da moda.

O DFB DigiFest 2020 apresenta um line-up multidisciplinar, reunindo atividades online programadas já para esse mês de junho e que seguem até o dia 19 de julho. Mesmo diante do novo cenário, o evento mantem sua missão de promover o acesso de novos talentos do trade ao mercado, contemplando diversos segmentos das esferas da moda, da cultura, da formação e do empreendedorismo.

A migração para o formato virtual potencializa as atividades previstas antes da pandemia, adaptando-as a um formato seguro e democrático, com pleno acesso a partir das redes sociais do DFB Festival – @dfbfestival – e da plataforma http://www.dfbfestival.com.br. 

O diretor geral do DFB Festival, Cláudio Silveira, explica que “todo o planejamento do DFB DigiFest foi pensado para contemplar quem mais precisa de auxílio neste momento de crise, seja designer, aluno, artista, microempreendedor ou restaurante que teve suas atividades afetadas e seu faturamento comprometido”.

Por isso, o DFB Festival, que se transforma em DFB DigiFest, une forças com Enel para a doação de máscaras de proteção, que serão doadas a domicílios em áreas de vulnerabilidade social, localizados na Região Metropolitana de Fortaleza; a iniciativa é fruto da parceria com o Programa Enel Compartilha Empreendedorismo.

Além da doação, o DFB DigiFest também distribuirá R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais) em prêmios em dinheiro, contemplando talentos profundamente impactados pela pandemia.

Claudio Silveira reforça que o maior compromisso do DFB DigiFest é “contribuir para que a moda autoral, todo o trade e a economia criativa continuem em movimento, principalmente no período recessivo que deve prosseguir, mesmo com o abrandamento dos efeitos da pandemia, nos próximos meses.”

A programação do DFB DigiFest divide-se em cinco categorias:

1 – AÇÕES SOCIAIS

Projeto Energia Solidária

Correalizado com a Enel, a iniciativa levará, de forma 100% gratuita, máscaras de proteção para domicílios situados nos bairros de maior vulnerabilidade da Região Metropolitana de Fortaleza.

12 designers e marcas autorais do line-up do DFB Festival desenvolveram estampas exclusivas, inspiradas em “esperança e solidariedade”. As estampas serão aplicadas em máscaras reutilizáveis, de uso prolongado, produzidas de acordo com as recomendações da RDC Nº 356, Ministério da Saúde, Anvisa e NBR 13698.

Entidades participantes do Programa Enel Compartilha Empreendedorismo atuarão na logística de distribuição das máscaras, integrando, dessa forma, todos os envolvidos.

Projeto New Faces

Correalizado com a influencer Thyane Dantas como parte das atividades do DFB Festival desde 2017, o concurso New Faces evolui nesta edição para uma versão online.

Mais que um simples concurso de beleza para novas modelos, a iniciativa nasceu para revelar talentos em áreas de vulnerabilidade social da Região Metropolitana de Fortaleza, proporcionando sua inserção no mercado de trabalho do trade da moda e da beleza no Ceará.

Para participar, as interessadas maiores de 16 anos devem gravar um vídeo de até 1 (um) minuto, apresentando sua idade, altura e peso, e respondendo a seguinte pergunta: “Porque eu mereço ser uma das New Faces do DFB?”

O vídeo deverá ser postado no feed do Instagram da interessada, com a hashtag #newfacesdigital e marcando o perfil do @dfbfestival.

2 – CULTURA

Mostra Competitiva MoveModa 2020

A segunda edição da mostra de curtas-metragens assinados por videomakers profissionais, estudantes e amadores, tem como tema as múltiplas interpretações sobre visões de futuro que se desenham no horizonte.

Como em 2019, a MoveModa distribuirá R$ 10.000,00 (dez mil reais) em dinheiro para os vídeos vencedores nas quatro categorias da mostra: Fashion Film Independente, Pensamento Crítico, Inovação em Linguagem e Talento Educacional.

O júri será formado por profissionais de audiovisual, comunicação, design e moda.

As inscrições podem ser feitas até 26/06 e o resultado será revelado no dia 10/07, nas redes sociais do DFB Festival. O edital e a ficha de inscrição podem ser baixados em http://www.dfbfestival.com.br

3 – DESIGN

Concurso dos Novos

Realizada desde 2001, a tradicional competição entre instituições de ensino superior e técnico de Estilismo e Moda já havia encerrado o prazo de inscrições antes das paralisações por conta da pandemia do novo coronavírus.

Para contemplar os trabalhos inscritos, sem expor os participantes aos riscos de aglomeração demandados em uma eventual segunda fase, o Concurso dos Novos realizará uma edição extraordinária.

Ao invés da coleção cápsula completa, que seria apresentada em desfile durante a edição física do DFB Festival, a avaliação será feita a partir do look-piloto enviado e da análise dos projetos teóricos das propostas.

Em virtude desse novo formato, o prêmio para a equipe vencedora foi atualizado para R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

O júri técnico do Concurso dos Novos será composto por profissionais de todo o Brasil, incluindo designers, estilistas e jornalistas especializados.

4 – EMPREENDEDORISMO

Prêmio DFB Digital

Iniciativa realizada em parceria com o Sistema Fiec e o Sebrae/CE, o Prêmio DFB Digital foi criado em reconhecimento aos esforços da indústria têxtil do Ceará e de microempreendedores independentes, para contemplar as iniciativas que mais têm se destacado nesses tempos de isolamento social.

Além de apontar iniciativas de grandes players da indústria, o Prêmio DFB Digital mira na atividade online de designers, artesãos e marcas autorais, que utilizam estratégias diferenciadas em suas plataformas digitais (sites, apps e redes sociais) para impulsionar modelos de negócio e comunicação em moda e design.

Os maiores destaques, eleitos por membros dos sindicatos do trade e profissionais da Imprensa serão contemplados com um total de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) em dinheiro, que será dividido entre os três microempreendedores que se destacarem nas categorias “Engajamento Social”, “Negócio Sustentável” e “Feed Criativo”.

Para concorrer a um dos prêmios, os interessados devem utilizar a hashtag #prêmiodfb ou inscrever suas redes sociais através do e-mail dfbfestival@dfbfestival.com.

5 – Gastronomia

Marmita Chic

O DFB DigiFest realiza a versão online de sua mostra gastronômica, visando auxiliar restaurantes com expertise em comida afetiva cearense, que foram impactados pela pandemia da covid-19.

Ao todo, chefs de nove restaurantes criarão suas versões de marmita-chic, que serão comercializadas online, em suas redes sociais, com preço acessível.

A renda de cada marmita-chic irá integralmente para o restaurante responsável por sua execução e venda.

A curadoria da ação fica a cargo do Chef João Lima.

SPA em casa: 10 produtos de beleza para usar e se cuidar na quarentena

Os produtinhos podem ser facilmente encontrados nas farmácias e nas maiores lojas virtuais do setor para ajudar no autocuidado em casa

Os momentos de autocuidado sempre foram importantes, mas agora durante o isolamento social ganharam ainda mais evidência. Tanto por conta do tempo livre que as pessoas passaram a ter em casa como também pela necessidade de intensificar a rotina de cuidados em virtude da pandemia. A boa notícia é que dá para adquirir produtos incríveis, que podem ser facilmente encontrados nos principais e-commerce de beleza e também nas farmácias, um dos poucos tipos de estabelecimentos comerciais autorizados a funcionar em todo o país atualmente. Listamos aqui alguns itens de pele e cabelos para quem deseja criar uma rotina de beleza na quarentena e se sentir dentro de um spa, mesmo em casa. Confira!

 | PARA RELAXAR E CUIDAR DA PELE DO ROSTO |

Para a pele facial, existem vários aliados na rotina de cuidados que podem ser encontrados nas farmácias e nas maiores lojas virtuais de beleza, com efeitos surpreendentes na cútis. Coloque uma música relaxante e escolha o que mais combina com seu tipo de pele para promover uma pausa e desfrutar de um momento de prazer e cuidado. O ideal é iniciar o ritual com a pele limpa, sem maquiagem. Comece com uma loção tônica que regula o pH da pele e ajuda a remover qualquer impureza que tenha resistido à higiene facial. Depois siga para um produto esfoliante que remove as células mortas, e, por último, aposte em óleos e cremes para promover a hidratação da pele.

 1 – Tonificação

 Loção Tônica Rose Petals – Nuxe

A loção tônica Rose Petals da Nuxe Paris é ideal para peles sensíveis normais a secas e ajuda a remover completamente a maquiagem, deixando a sua pele pronta para receber o creme de hidratação. Possui surfactante ultra suave derivado do coco, que remove completamente a maquiagem, ácido hialurônico de origem natural para não ressecar a pele, água de Hamamelis que suaviza a epiderme e água floral de pétalas de rosa damascena e alantoína, que acalma, amacia e suaviza a pele. O produto promove uma limpeza completa, já que sua fórmula não tem álcool e pode ser usado na região dos olhos. Para a aplicação, use um algodão ou esponja sobre todo o rosto, incluindo a região dos olhos. Além de uma deliciosa sensação de frescor, proporciona uma pele limpa e suave, livre do ressecamento. R$82,60

 2 – Esfoliação

 Geleia Esfoliante Facial Rose Petals – Nuxe

O esfoliante remove as células mortas de forma suave e renova as texturas da pele deixando-a macia ao toque e radiante como nunca. A Geleia Esfoliante Facial Nuxe Rose Petals deixa a pele do rosto revitalizada e pronta para receber todos os cuidados de beleza e hidratação. Basta aplicar no rosto úmido ou seco, massagear suavemente e enxaguar com água. Para um resultado mais eficaz, o ideal é repetir uso de 2 a 3 vezes na semana. R$93,00

3 – Hidratação

 Emulsão Hidratante Facial Aquabella – Nuxe

A Emulsão Hidratante Facial Nuxe Aquabella proporciona um efeito blur natural que suaviza as imperfeições faciais. Ideal para peles mistas, o produto serve para hidratar as zonas secas e matificar as zonas oleosas, além de deixar a pele mais macia e iluminada. Deve ser aplicada de manhã e/ou à noite, após a limpeza facial, com movimentos suaves.

Emulsão Hidratante – R$129,90 l Loção Tônica – R$109,90 l Gel Esfoliante – R$119,90

 Óleo para cuidados com a pele – Bio-Oil

O Óleo para cuidados com a pele, da Bio-Oil, é um produto restaurador que melhora a aparência de peles com cicatrizes, estrias, tons desiguais e sinais de idade. Pode ser usado tanto no rosto como no corpo para hidratar e nutrir. Sua fórmula leve e não gordurosa facilita a absorção pela pele. Possui vitaminas A e E em sua composição, que são antioxidantes e ajudam na regeneração da epiderme, combatendo os sinais do envelhecimento. Além disso, auxiliam na retenção de água, lubrificando e hidratando. Basta aplicar sobre a área desejada com a pele limpa, massageando com movimentos circulares.

25mL – R$19,90 l 60mL – R$39,90 l 125mL- R$65,90 l 200mL – R$89,90

 Hidratante Labial Rêve de Miel 15g – Nuxe

O Hidratante labial Nuxe Rêve De Miel Baume Lèvres Ultra-Nourrissant repara, hidrata intensamente e regenera a pele dos lábios, que agora no inverno, costumam sofrer com o ressecamento. Com uma deliciosa textura, o produto proporciona uma sensação de conforto e maciez. Sua fórmula possui concentrado de mel, extrato de grapefruit, óleos naturais e manteiga de Karité para nutrir, reparar e suavizar a pele. R$64,90

| CUIDADOS PARA A PELE CORPORAL |

 Com a chegada do inverno e a falta de exercícios e movimentação usual do corpo em casa, a pele pode ficar mais seca e exigir mais cuidados. Vale redobrar a atenção e apostar em produtos que promovem a hidratação para uma aparência mais viçosa.

Esfoliante Corporal Rêve de Miel – Nuxe

O Esfoliante Corporal Rêve de Miel da Nuxe esfolia suavemente a pele enquanto fornece nutrição. Indicado para pele seca e sensível, tem textura em gel e possui uma combinação de 93% de ingredientes naturais entre eles: mel, açúcar branco, grãos de arroz refinados, óleos botânicos, manteiga de Karité e ácido Hialurônico, ativos que promovem uma ação esfoliante, purificante, suavizante e nutritiva para a pele. Remove as células mortas e as impurezas, limpa gentilmente sem ressecar enquanto nutre e suaviza. Além disso, respeita a barreira cutânea natural e proporciona uma fragrância floral rica, com notas de mel, mimosa e baunilha que deixam uma agradável sensação de perfumação. Seu uso deixa a pele extremante suave, lisa e com um agradável toque sedoso. R$129,90

Óleo Huile Prodigieuse – Nuxe

O óleo hidratante multifuncional Huile Prodigieuse é o tratamento mítico de Nuxe com 7 preciosos óleos 100% vegetais. Com fragrância floral e delicada, tem textura de óleo seco e a mesma eficácia para uso no corpo, rosto e cabelo. Sua ação antioxidante reduz a aparência das estrias e fazem dele um aliado diário no combate às marcas indesejadas. No corpo, pode ser aplicado em regiões que tenham estrias com movimentos circulares nas regiões que forem necessárias. Para usar no rosto, basta aplicar suavizando movimentos do centro para o contorno. Pode ser usado sozinho ou misturando algumas gotas na palma da sua mão com o seu creme Nuxe. No Brasil, a marca tem mais duas versões dele: Huile Prodigieuse Or e Huile Prodigieuse Florale.

Huile Prodigieuse –  R$155,90 l Huile Prodigieuse Or – R$171,90 l Huile Prodigieuse Florale – R$155,90

Gel para Pele Seca – Bio-Oil

O Bio-Oil Gel para Pele Seca é um óleo em gel concentrado, que restaura e regenera a derme, garantindo hidratação e nutrição à pele. Disponível nas principais farmácias do país, o produto tem uma nova tecnologia para o cuidado das peles secas: é feito de óleo, com textura de gel, que dá uma sensação quente ao ser aplicado, e fórmula 100% ativa com apenas 3% de água e ativos altamente hidratantes. A glicerina aumenta a hidratação, a manteiga de karité, nutre e hidrata, a niacinamida B3 ajuda a proteger a barreira de hidratação da derme, a ureia suaviza e amacia e a camomila suaviza e acalma. O produto pode ser usado em todo o corpo, sendo que apenas uma pequena quantidade aplicada na região desejada é suficiente para hidratá-la. Basta massagear em pequenos movimentos circulares até ser quase totalmente absorvido.

50mL – R$28,90 l 100mL – R$48,90 l 200mL – R$81,90

I CUIDADOS COM OS CABELOS |

Além dos produtos usuais para a lavagem dos cabelos, vale investir em máscaras para hidratação dos fios, principalmente agora que o tempo esfriou e o clima está mais seco. Uma ótima dica é experimentar a nova marca capilar Eume, que acaba de chegar ao mercado com um vasto mix de produtos para todos os tipos de cabelos e fórmulas descomplicadas, para que o consumidor entenda e escolha o que é melhor para o seu cabelo. Vale apostar na Linha de Hidratação que contém babosa em sua composição, com minerais, Vitamina E e Arginina para promover uma hidratação profunda, deixando os cabelos mais macios, brilhantes e alinhados de forma suave. A linha completa inclui shampoo, condicionador, leave in e máscara.

Shampoo: R$19,90 l Condicionador: R$ 21,90l Máscara: R$ 29,90l Leave In: R$ 24,90

Outra questão importante é o fortalecimento dos fios, já que muitas pessoas estão sofrendo com o aumento da queda de cabelo durante a quarentena. Para isso, uma boa sugestão é a máscara capilar de tratamento intensivo Hair Growth, de Lee Stafford. Ela hidrata os fios enquanto reduz a irritação do couro cabeludo. Nutre e fortalece os folículos capilares, reduzindo as chances de queda e aumentando a capacidade de nascimento de novos fios. Com o couro cabeludo saudável, os fios também passam a crescer com mais rapidez. Máscara Hair Growth: R$64,90

Pesquisa aponta que crise fez empreendedores mais jovens mudar rumos dos negócios

O levantamento realizado pelo Sebrae e FGV mostra ainda que empresários sêniores são mais afetados do que os jovens, mas donos de pequenos negócios de todas as faixas etárias apontam queda no faturamento

Em meio à crise ocasionada pela pandemia do coronavírus, o empreendedor com mais idade foi o mais afetado entre os donos de pequenos negócios no Brasil. Pesquisa realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) ouviu 10.384 empresários do setor, entre 30 de abril e 5 de maio, e mostrou que entre os entrevistados com 56 anos ou mais, 51% fecharam seus negócios temporariamente, enquanto 45% dos empresários de até 35 anos optaram pela mudança de rumos do segmento em que atuam. A amostragem também identificou que em todas as faixas etárias houve queda do faturamento devido às medidas de isolamento social.

De acordo com a pesquisa “O impacto da pandemia de coronavírus nos pequenos negócios”, os empreendedores sêniores, com 56 anos ou mais, amargaram mais prejuízos, uma vez que para 46% deles seus negócios funcionavam somente com a presença do empresário. Por outro lado, 35% dos empreendedores com até 35 anos passaram a utilizar ferramentas digitais, tendência que se estendeu em diversos setores nos pequenos negócios, principalmente nesse período da crise. Em todas as faixas etárias houve significativa diminuição do faturamento, com queda maior entre os mais velhos, chegando a 71% de perda, onde houve queda. Onde houve acréscimo de receita, os negócios dirigidos pelo público mais jovem chegaram a alcançar 40% de aumento em relação a uma semana normal.

A internet tem sido o caminho percorrido pelos empresários jovens para manter o negócio ativo. A pesquisa mostrou que esse perfil optou pelas vendas online, principalmente pelas redes sociais. Na contramão, mesmo tendo adotado menos medidas nesse sentido, os empreendedores das faixas de 36 a 55 anos e de 56 anos ou mais empregaram 3,7 pessoas em média, enquanto os negócios liderados por gestores com até 35 anos mantiveram 3,3 empregados. Ainda em relação aos funcionários, os mais jovens foram os que mais utilizaram a medida do governo de redução de jornada e salário, chegando a 20% do total de entrevistados desta faixa etária.

Perfil dos entrevistados

O público com até 35 anos é composto majoritariamente por Microempreendedores Individuais (MEI) com maior participação do total de entrevistados nas áreas de comércio e serviços, conforme identificou a amostragem do Sebrae. Em relação ao gênero, 53% do empresariado mais jovem é composto por mulheres. Considerando o grau de instrução dos entrevistados, entre os empreendedores mais velhos está a maior proporção de pessoas com baixa escolaridade: 18% tem ensino médio incompleto ou menos. No entanto, nessa faixa etária é quando os empreendedores mais arrecadam. Os mais novos faturam R$ 23,3 mil e os empresários com 56 anos ou mais chegam aos R$ 32,6 mil.

Principais resultados da pesquisa:

– Entre os donos de pequenos negócios mais velhos, há uma proporção mais alta dos que fecharam temporariamente (51%);

– Entre os mais novos, há uma proporção mais alta dos que mudaram mais o funcionamento (45%);

– Os mais velhos tiveram mais negócios que não conseguem funcionar, pois só funcionam presencialmente (46%);

– Os mais novos passaram a utilizar mais ferramentas digitais (35%);

– Todas as faixas etárias tiveram diminuição de faturamento, mas a queda foi maior entre os mais velhos. Onde houve queda, a queda foi de -71%, nesse grupo dos mais velhos;

– Onde houve aumento de faturamento, foi maior entre os mais novos (+40%);

– Os mais novos têm 3,3 empregados, em média. Os mais velhos 3,7, em média;

– Os mais velhos conhecem mais a medida governamental de redução de jornada e salários. Mas foram os mais novos que mais utilizaram a redução de jornada e salário;

– Em geral, os mais velhos são os que mais costumam buscar e mais conseguem empréstimo bancário;

– Os mais novos precisam 21% a menos para manter o negócio sem fechar (R$11,6 mil contra R$ 14,6 mil entre os com 56 anos ou +);

– Entre os mais jovens, há maior proporção de mulheres (53%);

– Entre os mais velhos é alta a proporção de pessoas com baixa escolaridade (18% têm ensino médio incompleto ou menos);

– Os empreendedores mais novos têm negócios com 4,6 anos, em média. Os mais velhos 9,8 anos, em média;

– Os mais novos faturam R$ 23,3 mil, em média. Os mais velhos faturam R$ 32,6 mil em média.

O traje espacial dos tripulantes da SpaceX é coisa de cinema

Jose Fernandez, figurinista que já atuou no cinema, é o nome por trás da criação dos trajes utilizados pelos astronautas Doug Hurley e Bob Behnken

Em julho de 1960, a Nasa divulgava o programa espacial Apollo, que nove anos depois levaria o homem à lua. A década foi marcada pelo o que conhecemos de “corrida espacial”. Falar de futuro naquele momento era algo recorrente e indispensável. Materiais metalizados, plásticos, botas e peças de vestuário super construídas e paramentadas anunciavam um olhar futurista e vanguardista, que tornara-se vigente.

A moda não se eximiu do seu papel e passou a refletir o espírito do tempo. Abraçou o assunto do momento e refletiu o anseios de que quem viva com um pé no futuro. Paco Rabanne, Pierre Cardin e André Courrèges, foram alguns dos nomes responsáveis por criar a estética futurista que nos acompanharia nas décadas seguintes. Courrèges, inclusive, eternizou o visual com botas, óculos protetores e roupas em vinil e e chegou até mesmo a ser convidado para visitar o controle da missão da NASA.

André Courrèges eternizou a estética futurista na década de 1960
O futurismo na moda dos anos 1960

Bem, de lá para cá, continuamos falando de futuro e continuamos a assistir ao lançamento de outras missões para fora do planeta. A ideia de futurismo e o universo dos tripulantes espaciais sempre tiveram bem próximos. Os trajes usados por astronautas, que traziam camadas e camadas de isolamento e resfriamento, além de sistemas de mangueiras para bombeamento do ar, continuaram como símbolo máximo de futuro e tecnologia.

Neste fim de semana assistimos a mais um avanço em termos de missões espaciais. A Nasa se uniu a SpaceX para a primeira viagem tripulada e operada por uma empresa privada. A ida dos astronautas Doug Hurley e Bob Behnken ao espaço é marcada não somente pelo fim do monopólio governamental, mas também pela nova era dos trajes espaciais. O futuro, tão falado na década de 1960, chegou. E chegou de um jeito diferente, mais clean, minimalista e com uma pegada de cinema.

O traje espacial da vez é uma criação de Jose Fernandez, figurinista que já atuou no cinema em filmes como “Batman v Superman”, “O Quarteto Fantástico”, “Os Vingadores” e “X-Men II”. Fernandez foi convidado pelo bilionário Elon Musk, criador da SpaceX, a desenvolver os trajes do primeiro voo aeroespacial tripulado da companhia. Agora começou a notar semelhanças com o cinema, não é mesmo? Não é à toa! O traje deveria trazer funcionalidade e, ainda, sofisticação.

Esse pode ser o início para a “acessibilidade” das viagens ao espaço. Isso mesmo, há interesses privados por trás de viagem espacial. Em um futuro que talvez não demore tanto a chegar, civis poderão embarcar para fora do globo. Assim, levando isso em conta, deixar o viajante mais confortável e com um traje mais atraente e simplificado é algo que já começou a se pensar de agora.

O traje da missão da SpaceX foi desenvolvido para ser usado apenas dentro das aeronaves, em situações onde não há necessidade da conexão com outros adereços e ferramentas. “Uma das coisas que consideramos importante no desenvolvimento do traje era que ele fosse fácil de usar. A ideia era que a tripulação apenas plugasse ao sentar e o traje trabalhasse sozinho a partir daí e, claro, fosse uma parte do sistema operacional”, disse Chris Trigg, gerente do departamento de equipamentos e trajes da SpaceX, em uma entrevista.

O traje foi testado duas vezes e foram desenhados para serem peças únicas. Ele foi construído a partir de costuras aerodinâmicas que parte da região da clavícula até os joelhos. O prata e o alaranjado de outros tempos foi substituído pelo branco e pelo cinza. A roupa também reúne recursos que melhoram a funcionalidade da peça, logo ela também fornece pressão interna estável, mobilidade e oxigênio respirável; controle de temperatura; sistema de comunicação com conexão elétrica externa à espaçonave e, por fim, possibilidade de coletar resíduos corporais sólidos e líquidos.

Ainda segundo Chris Trigg, o traje não é só uma roupa, ele é parte do veículo. Possui um sistema que se integra com a espaçonave. Conta com um sistema de comunicação e controle embutidos e um cabo umbilical para conectar o tripulante com o assento e desempenhar diversas funções.

Quem diria, lá atrás, que a roupa espacial do futuro seria “enxuta”? Será esse o traje que usaremos para um bate e volta para ir em Marte em 2079? Bom, não sabemos precisar. Mas, sabemos dizer que sim, a soma de funcionalidade mais design, utilizadas na criação desse modelo, é o que vai definir cada vez mais nosso futuro.

New face: Emilly Nunes, o rosto que é a nova aposta da moda nacional

Conheça a modelo paraense Emilly Nunes, capa da próxima Vogue Brasil e estrela de Lenny Niemeyer

Descendente de indígenas, a modelo Emilly Nunes (WAY Model) chegou a trabalhar como operadora de caixa, em um supermercado do Pará, e como vendedora de uma empresa de telefonia, ofertando chips para celulares nas ruas, até despontar como o nome do momento na moda nacional.

Aos 21 anos, a bela de traços marcantes foi a eleita para estrelar a capa da próxima edição da Vogue Brasil, além de estampar publicidade da prestigiada grife Lenny Niemeyer.

Criada entre Belém e a paradisíaca Ilha de Marajó, Emilly acompanhava desde criança os desfiles de moda, quando calçava o salto-alto da mãe e desfilava pelos cômodos da casa onde vivia com a família.

A profissão que fantasiava, hoje tornou-se realidade: após participar de um curso de modelos, concluiu que queria seguir a carreira de fato.

Descoberta por um olheiro, mudou-se para São Paulo, onde fechou representação com a WAY Model, de Anderson Baumgartner, líder no segmento e responsável pela carreira de prestigiados talentos como Carol Trentini, Sasha Meneghel e Alessandra Ambrósio.

Em pouco tempo, conquistou a disputada capa da publicação brasileira Vogue, estrelou publicidades da poderosa grife de moda-praia Lenny Niemeyer, e tornou-se aposta do mercado da moda.

ELLE Brasil está de volta e traz ensaio com fotógrafos que registraram companhias na quarentena

A publicação marca seu retorno com entrevistas inéditas com Bob Wolfenson e Valter Hugo Mãe, além de um editorial estrelado por um casting com pessoas comuns

Foto: Nicole Heiniger

ELLE, referência entre as publicações de moda no mundo, está de volta ao Brasil. Em meio a maior pandemia do século, um dos conteúdos de destaque é o ensaio com 20 fotógrafos que registraram suas companhias de quarentena. Participam: Bob Wolfenson, Bruna Castanheira, Nicole Heiniger, Paulo Vainer, Henrique Gendre, Marina Benzaquem, Wallace Domingues, Gleeson Paulino, Debby Gram, Rafael Barion, Vivi Bacco, Luiza Ananias, Pedro Pinho, Leo Faria, Marvin, Carine Wallauer, Thaís Vandanezi e Takeuchis.

De acordo com Susana Barbosa, diretora editorial de ELLE Brasil, “mais do que nunca o momento exige que as publicações de moda sejam sensíveis ao que está acontecendo no mundo. Por essa razão, convidamos 20 fotógrafos de moda para retratar as pessoas com quem estão dividindo sua quarentena. O resultado são imagens fortes e ao mesmo tempo poéticas e muito íntimas, sem ostentação alguma, como pede o momento”. As roupas utilizadas nos ensaios são de estilistas brasileiros consagrados como Reinaldo Lourenço e Gloria Coelho, e também da nova geração, Neriage, Aluf e Piet.

Além disso, um editorial de moda estrelado por pessoas comuns que se inscreveram na #olhaelle foi clicado à distância pelo fotógrafo Gleeson Paulino. São 16 pessoas de regiões diferentes do Brasil, com estilos e realidades diversas, fotografadas em suas casas. A iniciativa do open casting surgiu em março, quando a ELLE comunicou em suas redes sociais que seria relançada. “Nada mais natural do que colocar no centro de tudo os nossos leitores, que sempre foram apaixonados pela marca e que ficaram órfãos quando ela foi encerrada”, diz Susana.

Foto: Bob Wolfenson

O fotógrafo Bob Wolfenson é também o protagonista de uma das principais entrevistas da estreia, que traz uma reflexão sobre o momento atual. “Como disse o Pondé [filósofo], já houve inúmeras pandemias e o ser humano é o ser humano. Então, não acredito numa purificação da quarentena que todo mundo está preconizando. Mas tem uma parte da sociedade que está se mobilizando, que era isenta à vida dos outros”, conta o fotógrafo à equipe de ELLE.

Outra entrevista é com o escritor português Valter Hugo Mãe, que traz sua visão do cenário brasileiro durante a pandemia, além de críticas ao governo atual: “Estes ciclos, grotescos, passam, sim. A paz que existia também não era sinônimo de saúde. O capitalismo desregrado estava lentamente a polarizar uns e outros.”

O projeto da nova ELLE Brasil está sob a liderança de Susana Barbosa (diretora editorial), Paula Mageste (publisher) e Virginia Any (diretora comercial), trio veterano da primeira fase da publicação no mercado brasileiro. A marca renasce nesta segunda-feira (25) no site com reportagens abertas e redes sociais. Ainda terá revista digital mensal, exclusiva para assinantes, com lançamento na segunda quinzena de junho, podcast e revista trimestral impressa que trará um conteúdo ainda mais analítico e atemporal.

Foto: Bruna Castanheira

Bem-vindos ao futuro: sem modelos, marca aposta em desfile 3D transmitido por live

Anifa Mvuemba, diretora criativa da grife Hanifa, inovou ao apresentar a coleção Pink Label Congo, totalmente adaptada ao contexto atual

As semanas de moda vão acabar? Os desfiles vão perder o sentido? Esse é um formato que ainda vai se manter? Como serão os desfiles de moda daqui a alguns anos?

Essas eram perguntas que todos nós já ouvíamos, e também nos fazíamos, ao longo dos últimos anos. Mas, com o cenário de pandemia, elas se tornaram ainda mais frequentes. Pensar em respostas para esses questionamentos passou a ser imperativo.

Os formatos dos eventos de moda, que começaram com os primeiros desfiles de ateliers e estilistas ainda no início do século XX, e que no Brasil atingiram seus tempos áureos entre meados da década de 1990 e anos 2010 com as semanas de moda, pareciam, nos últimos tempos, não se adaptar mais a realidade de uma sociedade cada vez mais conectada. A experiência de um desfile continuava as mesmas para consumidores que foram transformando sua relação com a moda (e maneira de consumi-la) ao longo do tempo. Esse cenário pôs em cheque a sobrevivência de modelos tradicionais vigentes na moda.

Não é de hoje que vejo marcas e consumidores se questionando se os desfiles de moda vão acabar. Quem é meu aluno já me ouviu falar muito isso e, agora, volto a pontuar aqui: os desfiles de moda não vão acabar! Acredito que a forma como nós vamos consumi-lo é que vai se transformar significativamente. Pois a necessidade de apresentar um produto e envolver o público vai continuar existindo. Como fazer isso, diante dos cenários e contextos que estamos inseridos (e que não são os mesmos de décadas atrás) é o grande desafio.

O momento de pandemia que estamos passando chegou para acelerar as mudanças já previstas e cogitadas para a moda. O futuro já chegou e já é presente. Um prova disso? A marca Hanifa, que já vestiu celebridades como Cardi B, Lizzo, Angela Simmons e Kelly Rowland, apresentou a sua nova coleção Pink Label Congo em um formato completamente inovador: em um desfile 3D apresentado em uma live no Instagram. A apresentação não conta com plateias e nem mesmo, acredite, modelos.

Uso do 3D computadorizado já é uma realidade da marca. Em comunicado oficial a imprensa ante do desfile, a diretora criativa da grife, Anifa Mvuemba, disse: “Criamos para mulheres sem limitações. Descobri que o mundo 3D me deu um lugar para inovar. É importante acreditar em si mesmo, amar o que faz e deixar a paixão inspirá-lo”.

Para a publicação Teen Vogue, Mvuemba disse que os modelos 3D vão guiar os próximos passos da marca. “Projetar conteúdo usando modelos 3D e agora uma coleção inteira mudou completamente o meu jogo”, disse ela, acrescentando que esse pode ser um modelo que poderá influenciar positivamente a marca e a moda, “Minha decisão de continuar pode impactar nossos clientes para melhor das maneiras que nunca imaginei”.

Ainda em entrevista à Teen Vogue, Anifa Mvuemba também comentou sobre o Instagram como uma ferramenta para democratizar o acesso a moda. “Sabemos que algumas pessoas podem nunca experimentar uma semana de moda ou uma vitrine de Hanifa, então queríamos aparecer para o nosso público onde elas apareciam para nós diariamente. Foi quando o Instagram se tornou a escolha óbvia “.

No vídeo transmitido, onde o desfile é apresentado, Anifa Mvuemba fala de sua inspiração para a coleção, que é a história do país onde nasceu, a República Democrática do Congo. A coleção celebra a beleza do Congo, chamando a atenção para os problemas enfrentados pelas pessoas no local, como a mineração ilegal.

Cinco minisséries premiadas para começar a maratonar hoje mesmo

Se você ama série, então se liga na lista e anota as dicas para assistir o quanto antes!

As minisséries da HBO têm narrativas poderosas e fazem o público mergulhar em temas complexos e até mesmo acontecimentos históricos apresentados sob um novo ângulo. A seguir, uma listinha com algumas das produções originais disponíveis na HBO GO que fizeram história e receberam os prêmios internacionais mais importantes desse segmento.

CHERNOBYL
Ano: 2019 | Episódios: 5

Em cinco episódios, CHERNOBYL aborda os acontecimentos ligados ao acidente nuclear na Ucrânia, em 1986, por meio das histórias de homens e mulheres que fizeram grandes sacrifícios para salvar a Europa de um desastre inimaginável. Logo que estreou, em 2019, CHERNOBYL fez sucesso no mundo inteiro. Além de ter recebido diversos prêmios, como o Globo de Ouro, Primetime Emmy e Critics’ Choice Awards, a minissérie ajudou a fomentar o turismo nos arredores da usina nuclear de Chernobyl. Curioso isso, né?

THE NIGHT OF
Ano: 2016 | Episódios: 8

Criada por Richard Price e Steve Zaillia, e protagonizada por John Turturro e Riz Ahmed, esta minissérie vencedora do Primetime Emmy investiga um complicado caso de assassinato em Nova York com conotações culturais e políticas. A história gira em torno de Nasir “Naz” Khan, um estudante universitário paquistanês-norte-americano que busca ajuda jurídica após ser preso pela morte de uma garota que tinha acabado de conhecer. A série acompanha a investigação policial, os procedimentos jurídicos, o sistema penal e o purgatório selvagem da ilha de Rikers, a prisão onde os acusados de delitos graves esperam o julgamento. Para quem ama investigação, é uma boa!

MILDRED PIERCE
Ano: 2011 | Episódios: 5

Com a vencedora do Oscar Kate Winslet e Evan Rachel Wood, MILDRED PIERCE é baseada no romance homônimo de James M. Cain, que também inspirou o filme ‘Alma em Suplício’. Recém-divorciada, Mildred Pierce é uma mãe jovem e trabalhadora que luta para sobreviver na época da Grande Depressão, nos Estados Unidos. Ela tem uma relação conturbada com a filha, que é ambiciosa e narcisista. A trama se passa entre 1931 e 1940, e faz uma extraordinária reconstrução desse período histórico por meio da ambientação e do retrato de padrões culturais. A minissérie ganhou diversos prêmios, incluindo Primetime Emmy e Globo de Ouro, e Kate Winslet teve atuação elogiada pela crítica do mundo todo. Maravilhosa!

kinopoisk.ru

OLIVE KITTERIDGE
Ano: 2014 | Episódios: 4

Baseada no romance homônimo ganhador do prêmio Pulitzer, da escritora Elizabeth Strout, OLIVE KITTERIDGE retrata os acontecimentos de uma pequena cidade da Nova Inglaterra ao longo de 25 anos, sob a perspectiva da professora Olive (interpretada por Frances McDormand). Vencedora do Primetime Emmy e do Globo de Ouro, a minissérie tem no elenco outros nomes de peso, como Richard Jenkins e Bill Murray.

BIG LITTLE LIES
Ano: 2017 | Episódios: 14

BIG LITTLE LIES nasceu como uma minissérie de sete episódios, baseada no romance de Liane Moriarty e levada à TV por David E. Kelley, mas ganhou uma segunda temporada dois anos depois. Vencedora do Emmy e do Globo de Ouro, é protagonizada por grandes atrizes como Reese Witherspoon, Nicole Kidman, Shailene Woodley, Laura Dern e Zoë Kravitz. BIG LITTLE LIES explora o mito social da perfeição e suas contradições. Em Monterey, pacata cidade na Califórnia, nada é exatamente o que parece. Mães perfeitas, maridos bem-sucedidos, crianças adoráveis, casas bonitas: que mentiras serão contadas para manter as aparências desses mundos ideais? A série também aborda temas como o assédio e a violência doméstica, uma realidade tão atual e com um debate tão necessário.

Curtiram?
Se assistem me deem o feedback!

Dicas para um ritual de autocuidado completo durante a quarentena

Uma seleção de produtinhos O Boticário para se cuidar em casa

Nos tempos atuais, a atenção aos cuidados pessoais ganha cada vez mais espaço no dia a dia. A preocupação com a saúde e bem-estar cresce e uma rotina de autocuidado pode ser a chave para se manter saudável e em dia com o corpo e a mente.

Terminar uma atividade estressante com um bom banho pode fazer a diferença entre um dia bom e uma noite melhor ainda. A nova linha Nativa SPA Rosé é totalmente vegana e oferece produtos com ingredientes naturais que auxiliam no autocuidado que todo mundo precisa e merece.

O ritual pode começar no banho, em que a água morna e a fragrância certa vão ajudar no relaxamento. Aqui, a dica é usar o Sabonete Líquido Pétalas, para ficar com a pele macia e suave já na primeira aplicação. As pétalas intactas na composição – adicionadas após um processo delicado e manual para preservar sua integridade – deixam a embalagem sofisticada. O Shampoo e o Condicionador Nativa SPA Rosé contêm proteína de quinoa, aliada a um exclusivo blend de rosas. Essa combinação devolve a vitalidade e protege o cabelo, reduzindo a quebra dos fios em 9 vezes.

O cuidado continua depois de sair do chuveiro, com o Óleo Precioso Multibenefícios. Feito com 95,8% de ingredientes naturais, o produto combina as propriedades da quinoa e da rosa mosqueta e é indicado para aplicações na pele do corpo, do rosto e no cabelo. No rosto, o óleo reduz rugas e linhas finas. Nos cabelos, deixa os fios mais luminosos e reduz a quebra e, no corpo, hidrata, nutre e uniformiza a pele, especialmente nas áreas mais ressecadas, como cotovelos, joelhos e pernas. Para finalizar os cuidados com o corpo, é só aplicar a Loção Desodorante Nativa SPA Rosé que melhora visivelmente a textura da pele e devolve o viço desde a primeira aplicação.

Balanço de 70 dias de quarentena: o que fiz, vivi e aprendi

Começos e recomeços. Rotina. Altos e baixos. Choros e sorrisos. Mudanças e uma situação nova. Como estou depois de tanto?

Dois meses. Mais de 10 semanas. Três luas cheias.
Achei que não ia consegui. Consegui.
Surtei. Chorei. Sorri.
Fiquem sem falar com ninguém. Fiz chamadas de vídeo.

Fiz aniversário. Lancei um site.
Me empolguei. Planejei
Fiz terapia. Me achei inabalável.
Me desmotivei. Não quis sair da cama.
Assisti noticiários. Senti raiva do governo.

Chorei mais, desabafei e tretei.
Fiz as pazes, disse eu te amo.
Conheci crushs. Desisti de crushs.
Troquei os móveis de lugar. Redecorei o quarto.
Comprei plantinhas. Cuidei de plantinhas.
Joguei fora o acúmulo. Abri espaço para o novo.
Fiz compras pela internet.

Não fiz exercícios físicos. Nem me cobrei por isso.
Aliás, me cobrei bem menos.
Me permiti descansar.
Me julguei, às vezes. Me puni, em outras.

Chorei no travesseiro.
Escrevi textos no travesseiro.
Vi a noite passar no travesseiro.
Passei uma noite em claro.
Lavei a roupa suja em uma ligação não planejada de madruagada. 

Cortei o cabelo. Me amei.
Cantei alto. E como cantei.
Extravasei. Dancei. Rebolei.
Fiz lives. Me acostumei com minha voz.
Me aceitei mais.
Fiz um ensaio fotográfico a distância.
Dei aulas por EAD.

Abracei meus pais. Fotografei meu cachorro.
Conversamos mais. Fizemos almoços juntos.
Cozinhamos coisas novas. E tiramos fotos.

Não resisto mais ao despertador.
Me acostumei com rotina.
O looping me cansa (ariano, né).
Ainda incomoda, mas bem menos que antes.

Acordar, sentar na mesa, fazer chamada de vídeo, da aula, estudar, ver O Clone e Chocolate com Pimenta, dormir. Repetir tudo novamente.

Acho que vivi uma vida inteira.
Não sei sobre os próximos 70 dias.
Nem sobre os planos que havia planejado.
Sei que estou mais sereno para encarar.
O normal é outro. Preciso estar disposto.
Vou surtar? Vou? Mas vamos seguir.
É o que nos resta.

E, você, qual o seu balanço?